PT
Pesquisa
Um projecto da Fundação Rui Osório de Castro


A partir de 2021, Portugal terá tecnologia nuclear capaz de tratar pacientes oncológicos
2018-05-17
Fonte: TVI 24

O ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Manuel Heitor, afirmou que, a partir de 2021, Portugal irá dispor de tecnologia nuclear capaz de tratar o cancro. 

Esta nova terapia, que utiliza uma tecnologia de feixes de protões, pode ser capaz de tratar os pacientes de forma mais eficaz e sem efeitos secundários. 

"Hoje, as ciências e tecnologias nucleares permitem curar o cancro", disse o ministro no Instituto Tecnológico e Nuclear, em Loures, onde deve ser feito um investimento de 100 milhões de euros em cinco anos para a criação de uma clínica, a primeira com esta terapia no sul da Europa e Portugal.

De acordo com Manuel Heitor, o tratamento pode ser concentrado num tumor “para curar e tratar cancros, sobretudo em doentes jovens e crianças". 

A Fundação para a Ciência e Tecnologia irá formar médicos e cientistas para poderem usar a tecnologia na clínica. 

Este novo método permitirá “o tratamento eficaz de múltiplas tipologias de cancro, reduzindo eventuais efeitos secundários relativamente a tratamentos baseados em tecnologias mais convencionais, permitindo minimizar as lesões em tecidos saudáveis circundantes dos tumores”, pode ler-se num comunicado do Ministério da Saúde, que acredita que venha a ser possível “tratar cerca de 700 doentes por ano com feixe de protões, selecionados de acordo com as melhores práticas internacionais". 
 
Notícias relacionadas


voltar
STQQSSD
 
1 2 3 4 5 6
7 8 9 10 11 12 13
14 15 16 17 18 19 20
21 22 23 24 25 26 27
28 29 30 31
 
 
 
01 Junho
Está agendada para dias 1 e 2 de junho de 2018 a 11.ª Reunião Anual da Associação de Enfermagem...
22 Junho
No próximo dia 22 de junho, a cidade de Manchester, no Reino Unido, recebe a 5ª edição do UK...
21 Setembro
Nos dias 21 e 22 de setembro, a Liga Portuguesa Contra o Cancro organiza, em Lisboa, o I Congresso...
banner
© 2018PIPOP - Todos os direitos reservados.