PT
Pesquisa
Um projecto da Fundação Rui Osório de Castro


Universidade de Turim cria aplicação de nanotecnologia para tratar cancros mais agressivos
2017-06-22
Fonte: Science News Line

Um tratamento de nanopartículas que combina ondas de choque mostrou-se eficaz no tratamento de tumores difíceis que já haviam sido tratados com quimioterapia convencional.

Os investigadores testaram a aplicação em ratinhos modificados com cancro da tiroide anaplásico, um cancro difícil de tratar, que não tem terapia padrão e cuja quimioterapia aprovada é benéfica em apenas 22% dos casos, mas os cientistas admitem que o tratamento pode vir a ser usado em vários tipos de cancros mais agressivos.

Devido à interrupção do fluxo de sangue do tumor, muitas vezes as nanopartículas que transportam os fármacos não os chegam a libertar diretamente no tumor, o que compromete o tratamento; para ultrapassar esta dificuldade, os investigadores combinaram o tratamento Extracorporal Shock Waves (ESW) com nanobubbles (NBS), o que ajudou a focalizar os efeitos dos fármacos. 

Num artigo publicado na revista Endocrine, os especialistas explicam que o tratamento feito aos ratinhos diminuiu significativamente o volume e o peso do tumor. Essas medições foram feitas logo após o tratamento, tendo-se verificado uma redução drástica na 11.ª semana.

Realizado pela Universidade de Turim, em Itália, este estudo, cuja próxima fase irá passar pela realização de testes clínicos, pode vir a desenvolver novas terapêuticas de combate a vários tipos de cancro.
 
Notícias relacionadas


voltar
STQQSSD
 
 
 
 
 
1 2
3 4 5 6 7 8 9
10 11 12 13 14 15 16
17 18 19 20 21 22 23
24 25 26 27 28 29 30
03 Outubro
Entre os dias 3 e 5 de outubro, realiza-se em Foz do Iguaçu, no Brasil, o XVI Congresso Brasileiro...
16 Novembro
Entre os dias 16 e 19 de novembro, realiza em Quioto, no Japão, o 50.º Congresso da Sociedade...
22 Novembro
O 15.º Congresso Nacional de Oncologia está agendado para os dias 22, 23 e 24 de novembro e terá...
banner
© 2018PIPOP - Todos os direitos reservados.