PT
Pesquisa
Um projecto da Fundação Rui Osório de Castro


Novo método de rastrear células T raras pode melhorar imunoterapia
2017-03-02
Fonte: Medical News Today

Um novo estudo realizado pelo Centro de Pesquisa de Cancro Fred Hutchinson, nos Estados Unidos, pode ter dado um passo importante em relação a um tipo de imunoterapia, designada por transferência adotiva de células T. 

O estudo revela uma nova forma de rastrear células T raras para que estas possam ser selecionadas para o tratamento de uma vasta gama de doenças através do sistema imunológico do paciente.

A ideia de transferência adotiva de células T é retirar as células T do próprio sangue do paciente, prepará-las para matar células cancerígenas, multiplicá-las no laboratório e depois devolvê-las ao paciente. Em alguns contextos específicos, as células T podem vir de um dador saudável.

No entanto, existem milhares de tipos de células T, cada uma com um efeito específico e não é claro quais são as mais eficazes contra as células cancerígenas.

Os especialistas desenvolveram agora uma forma de dar a cada tipo de recetor de células T um "código de barras" único para que os investigadores possam ler e rastrear todos os tipos de recetor no exército de células T individual de cada paciente. 

Segundo os especialistas, este novo método publicado na revista Science Immunology permite distinguir as células e descobrir de onde elas vieram, quais crescem em cultura e quais persistem depois de serem transferidas para o paciente.
 
Notícias relacionadas


voltar
STQQSSD
1 2 3 4 5 6 7
8 9 10 11 12 13 14
15 16 17 18 19 20 21
22 23 24 25 26 27 28
29 30 31
 
 
 
 
24 Outubro
Entre os dias 24 e 26 de outubro realiza-se, Centro de Congressos do Estoril, o 19.º...
25 Outubro
Entre os dias 25 e 27 de outubro, a Associação Portuguesa de Cuidados Paliativos e o IPO do...
16 Novembro
Entre os dias 16 e 19 de novembro, realiza em Quioto, no Japão, o 50.º Congresso da Sociedade...
banner
© 2018PIPOP - Todos os direitos reservados.