PT
Pesquisa
Um projecto da Fundação Rui Osório de Castro


Simples análise ao sangue pode vir a detetar neuroblastoma
2016-08-04
Fonte: Instituto de Cancro Infantil da Austrália

No futuro, uma simples análise de sangue pode detetar a presença de células tumorais ou ADN circulante de neuroblastoma. Esta pode vir a tornar-se uma forma eficaz e não invasiva de controlar as alterações em pacientes que sofrem com um dos tumores mais comuns da infância.

O neuroblastoma é o tumor sólido mais comum em crianças com menos de 5 anos e a idade média de diagnóstico situa-se atualmente nos 2 anos.

Murray Norris, diretor adjunto do Instituto de Cancro Infantil da Austrália, sublinha que esta tecnologia pode “acompanhar um tumor, revelando alterações moleculares sobre a progressão da doença”, algo particularmente importante numa era em que se procura evoluir a medicina personalizada.

Podemos olhar para um futuro onde os testes não-invasivos fornecem aos clínicos “uma janela para a doença, dando mais informações para que possam tomar as melhores decisões sobre os tratamentos", revelou o especialista.

O médico reforça ainda que "podemos estar alguns anos longe da realidade, porque há ainda desafios técnicos a superar, mas se as 'biópsias líquidas" puderem funcionar, no futuro, poderíamos ter exames de sangue não-invasivos e de rotina para que os pacientes com cancro possam de gerir a sua doença”, uma visão que dirige a medicina personalizada para o cancro infantil.

O tema foi debatido no Congresso de Pesquisa Avançada sobre o Neuroblastoma (ANR2016), que se realizou em junho na Austrália.
 
Notícias relacionadas


voltar
STQQSSD
 
 
 
 
1 2 3
4 5 6 7 8 9 10
11 12 13 14 15 16 17
18 19 20 21 22 23 24
25 26 27 28 29 30 31
13 Dezembro
No dia 13 de dezembro, a Liga Portuguesa Contra o Cancro (LPCC) organiza a Conferência “Tabagismo e...
banner
© 2017PIPOP - Todos os direitos reservados.