PT
Pesquisa
Um projecto da Fundação Rui Osório de Castro


Cientistas australianos identificam proteína que ajuda neuroblastoma a formar metástases
2016-08-01
Fonte: Instituto do Cancro Infantil Austrália

Um grupo de investigadores do Instituto do Cancro Infantil na Austrália identificou uma proteína que ajuda o neuroblastoma infantil a propagar-se e a formar metástases pelo corpo.

A equipa de cientistas sublinha que o sistema promovido pela proteína estatmina funciona de forma semelhante ao do controlo remoto de uma porta de garagem: a proteína envia sinais que permitem que as células cancerígenas possam entrar e sair dos vasos sanguíneos.

A proteína perturba os sinais celulares, permitindo às células tumorais o acesso a outros órgãos afastados do tumor original, segundo descreve o grupo num artigo publicado na revista Oncogene.

A descoberta abre agora caminho a identificação de novos medicamentos anti-cancro que tenham como alvo a proteína.

Maria Kavallaris, líder da pesquisa, explica que a estatmina era conhecida por se ligar aos citoesqueleto; no entanto, a sua equipa descobriu agora que ela permite a propagação das células não através desta via, mas por perturbar sinais químicos na célula cancerígena que permitem criar aberturas nos vasos sanguíneos possibilitando a sua entrada.

O neuroblastoma é o tumor sólido mais comum da infância. Em 70% dos casos, quando diagnosticado, o neuroblastoma já se espalhou para outros órgãos, por isso representa uma reduzida taxa de sobrevivência após cinco anos.
 
Notícias relacionadas


voltar
STQQSSD
1 2 3 4 5 6 7
8 9 10 11 12 13 14
15 16 17 18 19 20 21
22 23 24 25 26 27 28
29 30 31
 
 
 
 
25 Janeiro
A próxima reunião científica do Centro de Investigação em Meio Ambiente, Genética e Oncobiologia...
21 Fevereiro
No dia 21 de fevereiro, o Auditório Biblioteca Orlando Ribeiro, em Lisboa, recebe o Fórum Cancro...
22 Fevereiro
O Fórum Cancro Pediátrico 2018 realiza-se no dia 21 de fevereiro, em Lisboa. A iniciativa é...
banner
© 2018PIPOP - Todos os direitos reservados.