PT
Pesquisa
Um projecto da Fundação Rui Osório de Castro


Associação Portuguesa de Cuidados Paliativos defende acesso a cuidados paliativos antes de discussão sobre eutanásia
2016-02-22
Fonte: press release

A Associação Portuguesa de Cuidados Paliativos (APCP) considera “fundamental” garantir e promover o acesso dos doentes aos cuidados paliativos e assegurar que estes são prestados por profissionais com formação, antes de abrir a discussão sobre a eutanásia.

A posição da entidade surge como resposta ao manifesto “Morrer com Dignidade”, assinado por diversas personalidades portuguesas de várias áreas, desde políticos a cientistas ou médicos, que manifestam a sua preocupação com o sofrimento dos doentes em fase terminal e defendem a despenalização da morte assistida.

Pela voz do seu presidente, Manuel Luís Capelas, a APCP "descredibiliza esta lógica de pensamento", e defende, por outro lado, "o desenvolvimento e equidade no acesso aos cuidados paliativos e a formação dos profissionais de saúde como prioridade nacional e como resposta à eutanásia".

Manuel Capelas considera fundamental a promoção de "um amplo e aprofundado debate público sobre a eutanásia" para garantir "uma total elucidação dos cidadãos", que garanta "uma pedagogia de valores e de princípios que norteiem o debate, para que o discurso não se superficialize em 'slogans populistas'".

Segundo as últimas estimativas da APCP, em Portugal, existem entre 72 mil e 86 mil doentes que necessitam de cuidados paliativos.
 
Notícias relacionadas


voltar
STQQSSD
 
 
 
1 2 3 4
5 6 7 8 9 10 11
12 13 14 15 16 17 18
19 20 21 22 23 24 25
26 27 28
 
 
 
 
21 Fevereiro
O Fórum Cancro Pediátrico 2018 realiza-se no dia 21 de fevereiro, em Lisboa. A iniciativa é...
22 Fevereiro
O 26.º Encontro de Pediatria, organizado pela ASIC - Associação de Saúde Infantil de Coimbra,...
24 Fevereiro
O 4.º Seminário de Oncologia Pediátrica, organizado pela Fundação Rui Osório de Castro, realiza-se...
banner
© 2018PIPOP - Todos os direitos reservados.