PT
Pesquisa
Um projecto da Fundação Rui Osório de Castro


Nova pesquisa questiona eficácia dos protetores solares contra cancro da pele
2015-01-05
Fonte: Diário da Saúde

Um estudo da Universidade de São Paulo e do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia de Processos Redox em Biomedicina, no Brasil, coloca em causa a capacidade dos protetores solares protegerem contra os efeitos nocivos dos raios solares e o cancro da pele.

A pesquisa revelou que a exposição à luz visível, e não apenas à luz ultravioleta, pode também ser prejudicial à pele, mesmo com o uso de protetores solares.

Os pesquisadores avaliaram a toxicidade da luz visível em melanócitos humanos e de ratos, tanto com nível basal quanto com superexpressão de melanina, e mostraram que a presença de melanina aumenta a fototoxicidade da luz visível.

O estudo provou que a melanina, ao ser estimulada pela luz visível, gera moléculas altamente reativas que causam danos ao ADN das células, potenciando o desenvolvimento de cancro da pele.

Os bons protetores solares encontrados atualmente no mercado protegem contra a radiação solar ultravioleta (UVA e UVB), mas não contra a radiação visível.

"O ideal parece ser a velha receita de se expor ao sol por pouco tempo sem proteção externa, pois nesse caso obtemos os benefícios do sol, como, por exemplo, a ativação da vitamina D, sem sofrermos os riscos que a exposição prolongada oferece, mesmo com a utilização dos protetores solares”, sublinhou ainda o investigador.
 
Notícias relacionadas


voltar
STQQSSD
 
 
 
 
1 2 3
4 5 6 7 8 9 10
11 12 13 14 15 16 17
18 19 20 21 22 23 24
25 26 27 28 29 30 31
13 Dezembro
No dia 13 de dezembro, a Liga Portuguesa Contra o Cancro (LPCC) organiza a Conferência “Tabagismo e...
banner
© 2017PIPOP - Todos os direitos reservados.