PT
Pesquisa
Um projecto da Fundação Rui Osório de Castro


Descobertas novas mutações associadas à recaída de leucemia infantil
2013-02-05
Fonte: Science Daily

Um estudo intensivo de três anos, com base no genoma dos doentes, permitiu identificar mutações que levam à resistência dos tratamentos e recaída no tipo mais comum de leucemia infantil, a leucemia linfoblástica aguda, um tipo de cancro que afeta o sangue.

A pesquisa em causa, do Centro Médico do Instituto Langone, nos Estados Unidos, permitiu, pela primeira vez, associar o ressurgimento da doença a anomalias genéticas específicas.

A descoberta é relatada num estudo publicado na revista Nature Genetics, que sublinha que, entre as crianças avaliadas, “não houve nenhum progresso na cura entre as que tiveram uma recaída, apesar de lhes terem sido administradas elevadas doses de quimioterapia e realizados transplantes de medula óssea", referem os autores do estudo.

Eventualmente, a informação agora apurada pode ajudar os médicos a detetar o aparecimento precoce de células resistentes à quimioterapia em pacientes com leucemia e mudar a estratégia de tratamento.

Para o novo estudo, pesquisadores de cinco instituições dos Estados Unidos passaram três anos a analisar várias amostras de medula óssea de doentes pediátricos, a fim de detetar novas pistas sobre a progressão da doença.

Para cada paciente, a equipa montou uma sequência completa de RNA extraído a partir da medula óssea em três momentos: no diagnóstico, durante a remissão, e durante a recidiva alguns meses ou anos mais tarde. Ao todo, foram sequenciados 100 bilhões de códigos de RNA.

A equipa verificou que cada paciente tinha adquirido entre uma e seis mutações que mudaram o código genético ao longo do curso da doença. Ao todo, foi possível confirmar 20 novas mutações específicas.
 
Notícias relacionadas


voltar
STQQSSD
 
 
1 2 3 4 5
6 7 8 9 10 11 12
13 14 15 16 17 18 19
20 21 22 23 24 25 26
27 28 29 30
 
 
 
banner
© 2017PIPOP - Todos os direitos reservados.