PT
Pesquisa
Um projecto da Fundação Rui Osório de Castro


Quimioterapia na gravidez não compromete funções cognitivas e cardíacas do bebé
2012-08-26
Fonte: Clinical Oncology

Um grupo internacional de investigadores da Bélgica, Países Baixos e Canadá descobriu que sessões de quimioterapia durante a gravidez não surtem grandes efeitos sobre as funções cognitivas e cardíacas do bebé.

Contrariamente ao que se suponha, a quimioterapia administrada a mulheres grávidas pode não surtir efeitos negativos no desenvolvimento cardíaco e cognitivo da criança, sobretudo quando o tratamento é administrado após os primeiros três meses de gestação.

As conclusões do estudo foram apresentadas recentemente durante o último Congresso do Conselho Europeu Multidisciplinar de Cancro, onde os pesquisadores revelaram que as funções cardíaca e neurocognitiva entre as crianças avaliadas estavam dentro dos parâmetros normais. Apesar dos efeitos sobre estas funções, os investigadores ressalvam, no entanto, que os filhos de mães sujeitas a quimioterapia durante a gravidez eram mais propensos a nascer antes do tempo previsto.

Os resultados surgiram de uma avaliação que estudou dados de 140 crianças expostas à quimioterapia enquanto estavam no útero materno. As crianças foram seguidas pela primeira vez aos 18 meses e depois regularmente até aos 18 anos.
 
Notícias relacionadas


voltar
STQQSSD
 
 
 
 
 
 
1
2 3 4 5 6 7 8
9 10 11 12 13 14 15
16 17 18 19 20 21 22
23 24 25 26 27 28 29
30
 
 
 
 
 
 
26 Abril
A 25.ª edição do Porto Cancer Meeting está agendada para os dias 26 e 27 de abril, subordinada ao...
09 Maio
De 9 a 11 de maio, realizam-se as XIX Jornadas de Pediatria de Évora, subordinadas ao tema...
10 Maio
O 3.º Congresso Internacional da Associação Portuguesa de Investigação em Cancro (ASPIC) realiza-se...
banner
© 2018PIPOP - Todos os direitos reservados.